Sete passos para o Discernimento Vocacional

1) ORAÇÃO

Senhor, que queres que eu faça?” (Atos 22,10)

A vocação não é algo que você inventa, mas uma realidade que você é. Não é um projeto que você tem para sua vida, mas é a missão que vem de amizade que Jesus oferece a você e convida-o a realizar.

Se você quiser encontrar o seu diálogo “vocação” com o Senhor, somente por meio da oração pode conhecer o que Deus quer de você,sua vontade. Na oração ao Espírito Santo vai refinar seu ouvido para que você possa ouvir. No diálogo de amizade com Jesus, você vai ouvir a sua voz chamando-o: “Vem e segue-me” (Lc 18, 22); ou suas palavras serão “de volta para sua casa e dizer tudo o que Deus fez por você” (Lc 8,39).

2) PERCEPÇÃO

Para descobrir o que Deus quer, você tem que ouvir, observar e fazer a experiência. Por esta razão, você precisa crescer no “silêncio interior”; para perceber e reconhecer a voz do Senhor.Cuidado com o que se move dentro de você: seus desejos, seus medos, seus pensamentos, suas fantasias, seus anseios, seus planos. Ouça seu coração: o que é que você quer? Aprenda a observar as pessoas ao seu redor: o que Jesus está dizendo a você pela sua pobreza, sua ignorância, sua dor, seus desesperos, a necessidade de Deus …? Olhe para a sua história pessoal: Quais foram os momentos mais importantes de sua vida,  que Deus estava presente ou ausente nestes eventos, o que é realmente importante para você? Por quê? Contemple o futuro: o que você sente quando você pensa da possibilidade de consagrar sua vida a Deus? Você só tem uma vida: para quê e para quem você deseja dedicá-la?Tenha cuidado para discernir, é importante perceber se o que a atrai são sinais de uma chamada real para uma consagração ou são estímulos de Deus, para você intensificar a sua vida cristã como um(a)  leigo(a).

Vivendo esta etapa, você dirá, “talvez Deus está me chamando…” “Eu sinto a inquietação de consagrar minha vida a Deus.”

3) INFORMAÇÃO

Os caminhos através dos quais podemos perceber a vocação de consagração são variadas e numerosas. Não é o suficiente para querer dar a minha vida ao Senhor e quero dedicar a ajudar os outros. Você tem que saber onde Deus quer que você, para segui-lo e servi-lo. Descubra o que é espiritualidade, como vivem os sacerdotes diocesanos ou de diferentes congregações religiosas; sinta o que o atrai mais do que tudo. Olhar como eles vivem: uma congregação de vida contemplativa não é igual a um de vida apostólica.

Mantenha-se informado sobre o que sua missão específica e quais são os meios, os apostolados, que são utilizados para alcançá-lo: hospitais de ensino, a direção espiritual, pastoral vocacional, missões, comunicação, pregando retiros espirituais, mídia, etc.

Tomando esta etapa, vai dizer: “Eu sou atraído para a espiritualidade, estilo de vida e ministério desta congregação ou realidade religiosa desta.” “Talvez Deus está me chamando para entrar no noviciado ou em um seminário.

4) REFLEXÃO

Vocação é um negócio muito grande, e é para a vida! Por esta razão, você não pode lançar-se nesta aventura sem primeiro pensar seriamente sobre você, e a nova vida que você quer abraçar. Descubra suas habilidades e suas limitações. Pense se você pode viver as exigências que implica uma vocação, sabendo que podem sempre contar com a ajuda segura da graça de Deus.

Em que sinais concretos você que Deus está te chamando? Que razões você tem para ele, ou não, para realizar ou não este caminho? O que é que o(a) atrai?

Deus lhe pede para se comprometer, de forma responsável, no discernimento da Sua vontade. Ele quer que você use sua inteligência para entender o  projeto dele para sua vida. Com a luz do Espírito Santo, você vai descobrir o que Deus quer de você. Não pense que você vai ter a certeza absoluta do que Deus quer de você, você nunca vai receber qualquer coisa como um contrato assinado por ele em que revela a sua vontade. O que você vai encontrar são sinais que indicam que poderia ser o projeto da amizade entre você e ele.

Decifrar esses “sinais” faz com que você tenha a certeza, aos poucos, de Seu chamado.

Tomando esta etapa vai dizer: “Eu creio que Jesus está me chamando.” “Acredito que, com a ajuda do Espírito Santo, eu possa responder.”

5) DECISÃO

Enquanto desciam pela rua, ele lhe disse:” Eu te seguirei aonde quer que vá” (Lc 9, 57).

Tendo descoberto o que Deus quer de você, busque responde-lo e segui-lo com generosidade. Tomar a decisão é difícil. Você vai temer. Seus limites vão parecer montanhas: “Ah, Senhor Deus, eu não como falar sei, eu sou muito jovem” (Jr 1, 6).

Mesmo assim, apesar de suas limitações, ou melhor, junto com elas, é preciso responder como Isaías: “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6, 8). Diga “sim”. Peça ao Espírito Santo para dar-lhe essa capacidade de responder.

Para começar a jornada de vocação não espere ter a absoluta certeza de que Deus está chamando você, não espere ter um “contrato famoso assinado”. A decisão é um passo na fé, um ato de confiança em seu amigo Jesus. Para fazer isso é normal que você tenha dúvidas, medos. Perguntar-se: Eu posso suportar todas as necessidades da vocação? Vou chegar ao destino final? Mas uma coisa que você não pode duvidar, no entanto, é do que você quer.

Tomando esta etapa vai dizer: “Quero consagrar minha vida a Deus no serviço aos meus irmãos e irmãs.” “Eu quero entrar nesta congregação religiosa.” “Eu quero ser padre”…

6) AGIR

Tome uma atitude!

Indo mais longe, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com seu pai Zebedeu, consertando as redes; e ele os chamou. Imediatamente eles deixaram o barco e seu pai e seguiu-o” (Mt 4, 21-22).

Uma vez feita a decisão, é preciso lançar-se! Não se deixe vencer pelos medos: lançe-se com coragem. Coloque todos os meios que tem à sua disposição para realizar o que você decidiu.

Com sua decisão você também  compromete todo o seu passado e  futuro. A única maneira de realizar o plano de Deus na vida é a fidelidade de todos os dias. viver cada momento, de acordo com o que decidiu, você dirige todos os seus passos em direção à meta. E quando aparecem as dificuldades? Persevere! Prepare-se para a luta, você terá de enfrentar problemas e superar os obstáculos. Jesus diz: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e me siga “(Lc 9, 23). A trilha é difícil, no entanto, Maria irá acompanhá-lo.

 

7) ACOMPANHAMENTO VOCACIONAL/ DIREÇÃO ESPIRITUAL

A direção espiritual, na realidade, não é apenas mais um passo no processo de discernimento vocacional, é um meio, que você pode lucrar em cada uma das etapas vistas antes. O diretor espiritual ou Orientador Vocacional irá motivá-lo para você rezar e entender os sinais da vontade de Deus. Vai mostrar onde você pode obter informações e ajudá-lo a refletir.  Vai ajudá-lo a se preparar adequadamente para entrar em uma casa de formação. Se é verdade que a vocação é um chamado pessoal de Deus, ninguém pode ouvir esse chamado por você, por isso, você precisa ter alguém para acompanhá-lo em seu discernimento vocacional, pois escutando o Chamado de Deus, irá partilhar com outra pessoa essa voz que está a escutar.

O discernimento do plano de Deus, é necessário fazer com a mediação da Igreja. Descobrir a vocação não é fácil, mas não impossível. Se você partiu com sinceridade a buscar a vontade de Deus, e percebeu os passos que sugerimos, acho que você pode entender. Deus é o primeiro interessado em que você possa descobrir e perceber sua vocação.

A guia para este caminho é Maria: Ela intercede, acompanha, incentiva, apoia; é uma mãe e amiga. Ela nos leva ao “porto seguro”.

Fonte: Texto adaptado do site: www.vocazione.org