Irmãs Paulinas – 90 anos de presença evangelizadora no Brasil

As Irmãs Paulinas (Pia Sociedade Filhas de São Paulo) celebram em 21 de outubro de 2021 – 90 anos de caminhada evangelizadora no Brasil. No dia 21 de outubro de 1931, desembarcou no porto de Santos (SP) a primeira missionária paulina em terras brasileiras, Irmã Dolores Baldi. Em 28 de dezembro do mesmo ano, uniu-se a ela a Irmã Estefanina Cillario. Ambas vieram da Itália.

A Congregação foi fundada na Itália em 15 de junho de 1915. Tem como fundador Padre Tiago Alberione e Co-fundadora irmã Tecla Merlo.

Era noite, 31 de dezembro de 1900, na passagem do século o jovem seminarista Tiago Alberione rezando em frente ao Sacrário sentiu um grande apelo de Deus que o chamava a se preparar para fazer alguma coisa pela humanidade do século XX que estava por iniciar. Uma missão lhe foi confiada: anunciar o Evangelho com todos os meios de comunicação que o progresso oferecesse. Nesse espírito nasceu a Família Paulina e as Irmãs Paulinas foi a segunda Congregação por ele fundada em 15 de junho de 1915, em Alba, Itália.

Irmã Tecla Merlo. Mulher com um grande desejo de fazer o bem. Por isso Deus a chamou e escolheu para se consagrar ao anúncio do Evangelho. Orientada pelo pe. Tiago Alberione, com um amor incondicional a Jesus e muita simplicidade, é a co-fundadora da congregação das Irmãs Paulinas. Como o Apóstolo Paulo possuía um coração universal e transmitiu o carisma Paulino por todos os continentes.

Dolores Baldi. Foi a primeira irmã Paulina a chegar ao Brasil, no porto de Santos-SP, à 21 de outubro de 1931. Veio da Itália, logo após professar seus primeiros votos religiosos, com apenas vinte anos. Sem conhecer a realidade que encontraria, nem o idoma, sem estudo, sem dinheiro, sem uma casa para ficar. “Tudo começou do nada, como o Evangelho ensina.”, afirmava Ir. Dolores. Foi a primeira provincial no Brasil.

“Eu não posso dizer que sofri. Eu não sofri. Tudo era pouco para mim que tinha escolhido ser freira. Ser freira era para mim ser diferente. Para ser uma mulher como todas, eu não precisaria ter vindo para o convento.” (Ir. Dolores Baldi)

Irmã Stefanina Cillario deixou a Itália em dezembro de 1931, com apenas 19 anos, para juntar-se a Irmã Dolores Baldi e iniciar a missão paulina aqui no Brasil. Com grande capacidade de adaptação e inculturação, aprendeu os costumes, a língua e o amor ao nosso povo. Ela sempre acompanhou com carinho, vibração e oração cada nova iniciativa para comunicar o Evangelho na cultura da comunicação. Dela, A província do Brasil guarda carinhosamente a visão ampla das necessidades do povo, o amor pelas vocações, o ardor missionário, a coragem e o profundo espírito de oração. Foi uma mulher realmente contemplativa.

O Brasil foi o primeiro País fora da Itália a receber as missionárias Paulinas. Seguindo os passos de Jesus, do apóstolo Paulo, e dos fundadores padre Tiago Alberione e irmã Tecla Merlo, desde 1931, as Irmãs Paulinas cumprem sua vocação de “Viver e comunicar Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida”, pelos caminhos deste Brasil continental, utilizando das formas e técnicas da comunicação para o anúncio do Evangelho.

Na comemoração dos 90 anos de vida e missão no Brasil, três são os grandes pilares que compõem e traduzem a vida e a missão da congregação: Vocação, Palavra e Missão. Para dar visibilidade a essa experiência, as celebrações da festa lembram a Vocação/Consagração Paulina e as jovens chamadas hoje (vocações). A evidência da Palavra de Deus. A Missão Paulina nasceu da Palavra e para o anúncio da Palavra de Deus. E  as irmãs ouviram o: “Vão e anunciem o Evangelho”, completando um tríduo que compõe o slogan da celebração: Paulinas: 90 anos de caminhada no Brasil – Vocação, Palavra e Missão.

O encerramento das comemorações com uma romaria à Aparecida, aos pés de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, é para agradecer e confirmar que a “mão de Deus esteve sempre conosco” – como afirma Padre Alberione ao contemplar a história da Família Paulina. E louvar a Deus o Carisma Paulino na Igreja e a fidelidade das centenas de Irmãs Paulinas que consagraram e consagram suas vidas para o anúncio de Jesus Cristo com a Comunicação no Brasil e no mundo. Muitas brasileiras doam suas vidas nas missões Ad Gentes na África, na Itália e nas Américas.

Para contatos e depoimentos sobre a Missão Paulina na sua vida ou se uma jovem desejar ser irmã Paulina: vocacional@paulinas.com.br

História:

A Província brasileira das Filhas de São Paulo é fruto da parábola do grão de mostarda: “O reino dos céus é como um grão de mostarda que alguém pegou e semeou no campo. embora seja a menor de todas as sementes, quando cresce fica maior que as outras hortaliças e torna-se um arbusto, a tal ponto que os pássaros do céu vem fazer ninhos em seus ramos” (Mt 13. 31-32).

Esse grão de mostarda foi lançado no Brasil, no dia 21 de outubro de 1931, com a chegada de irmã Dolores Baldi e posteriormente com a da irmã Estefanina Cillario. Ambas vindas da Itália. Também é importante informar que esta semente foi a primeira lançada fora do país de origem. No princípio prestavam serviços aos padres paulinos, auxiliando-os na cozinha e na livraria interna.

No ano de 1932, alugaram um imóvel na rua Pinto Ferraz, 55, hoje rua Madre Cabrini. As irmãs queriam assim buscar certa independência de vida: seguir o seu caminho. De maio de 1932 a outubro de 1933, mudaram-se para a rua dona Avelina,  depois para a rua da Liberdade e finalmente para a Domingos de Moraes. Atualmente a sede da Província das Paulinas no Brasil, localiza-se na rua Dona Inácia Uchôa, 62 – Vila Mariana, em São Paulo.

Muitos anos se passaram e essa semente se tornou uma grande árvore cercada de muitos frutos. Frutos estes que se espalharam por vários lugares do Brasil. difundindo assim o seu carisma: comunicação a serviço a vida.

A Província do Brasil é composta de 176 irmãs com votos perpétuos, 11 irmãs junioristas.  E as jovens em formação: aspirantes, postulantes e noviças. Uma família para o anúncio do evangelho.