Faça parte desta história!

A celebração de mais de 100 anos da Congregação das Irmãs Paulinas, ou das Filhas de São Paulo, pode ser uma boa oportunidade para você, jovem, conhecer a missão de um grupo de mulheres que dedicam suas vidas a evangelizar através dos meios de comunicação. Essa missão teve um começo com o profetismo do padre Alberione e a dedicação integral de irmã Tecla Merlo, mas – acreditamos – nunca terá um ponto final, o caminho está aberto à você que quiser seguir essa missão e fazer parte da história das Irmãs Paulinas. Se esse for o seu desejo, não hesite! Até porque, não sou eu propriamente quem faz o convite, mas quem veio bem antes e tem uma autoridade muito maior, como o próprio Jesus Cristo, que disse aos seus apóstolos que não tivessem medo de segui-lo, ou ainda o inspirador da nossa missão, São Paulo, para quem “Deus não nos deu um espírito de covardia, mas de força, de amor e de moderação” (2Tm 1,7).

É certo que a opção por uma vocação religiosa ou a escolha de um projeto de vida à luz da vocação cristã exige tempo, conhecimento e discernimento. É como dar início a uma grande aventura rumo a algo desconhecido, desafiante e fascinante. Mas toda grande caminhada começa com um primeiro passo. E se há desejo de sua parte, após ler um pouco da nossa história, pode ter chegado a sua hora de optar por esse projeto de vida de caminhar com Jesus Cristo Mestre, Caminho, Verdade e Vida. De anunciar o seu Evangelho com o ardor e a universalidade do apóstolo São Paulo de forma inculturada, usando os meios de comunicação mais rápidos e eficazes de que dispomos atualmente. Mas que, por mais modernos que sejam, de nada valem se não tivermos gente disposta a se doar.

Nosso desafio é grande, pois os meios de comunicação desconhecem fronteiras. Como profetizou o padre Alberione, as fronteiras da nossa missão são o próprio mundo. Assim, nosso carisma nos possibilita ir ao encontro das pessoas onde quer que elas estejam, seja de forma física ou através das redes digitais e das ondas dos satélites. E a humanidade, mais do que nunca, precisa de pessoas que com sua presença, palavras e ações aponte a ela um novo horizonte. Porque em um contexto social onde os apelos aos valores provisórios, superficiais e descartáveis são contínuos e invadem a nossa vida cotidianamente, promovendo uma sociedade cada vez mais individualista, competitiva e egoísta, uma angústia se perpetua, como já perguntava há tempos o nosso fundador: “Como caminha e para onde caminha esta humanidade que se renova sobre a face da terra?”.

A sociedade vive uma crise de sentido. Por isso, faz-se necessário o ser humano encontrar um sentido maior para sua vida e buscar um novo horizonte para ajudá-lo a se tornar uma pessoa melhor, mais feliz e promotora de uma nova sociedade. Acreditamos que o encontro com Jesus Cristo e a força transformadora da sua mensagem continua oferecendo aos homens e às mulheres do nosso tempo a grande novidade do amor, da solidariedade, da fraternidade e da paz. Então por que não ajudar a construir esse encontro, essa ponte?

Pelo chamado à consagração e conscientes da nossa responsabilidade para colaborar na construção de um mundo novo, colocamos à disposição de Deus, por meio da Congregação das Filhas de São Paulo, tudo o que somos e temos: energias, dons, meios etc. Nesse centenário, renovamos nosso compromisso de continuar comunicando o Evangelho de Jesus Cristo com a nossa vida e missão.

Ao longo dos mais de 100 anos de história da nossa congregação, centenas de jovens como você já encontraram o sentido para suas vidas consagrando-se totalmente a Deus e colocando suas vidas a serviço das pessoas através da missão de evangelizar com os meios de comunicação social. O apelo de Jesus, portanto, renova-se aqui: “Vinde a mim”. Esse chamado há de continuar ecoando no coração e na vida de muitas jovens que desejam se consagrar para viver e comunicar Jesus Cristo ao mundo de hoje. Se você, em seu coração, sente este apelo de Deus para colocar sua vida a serviço das pessoas, conheça melhor nossa vida e missão!

Venha conosco! Em nossa história, pode estar faltando você!

 

Por Ir. Amélia Monteiro Bezerra, fsp.